O INVERNO E OS SANGRAMENTOS NASAIS
agosto 1, 2019
CONHEÇA AS PRINCIPAIS AÇÕES DO 1º ANO DA ABRAPHEM!!
outubro 28, 2019

A ABRAPHEM completa 1 ano de sua fundação e se fortalece cada dia mais. Seu crescimento agora se dá através da filiação de 3 Associações Estaduais de Hemofilia que chegam para trabalhar em parceria, agregar conhecimento, valor, competência e energia e para juntos, alcançarmos nosso objetivos comuns.

 

As Associações filiadas à ABRAPHEM são:

 

ASPAHCAssociação Paraense de Portadores de Hemofilia e Coagulopatias Hereditárias

APHEMS – Associação de Pessoas com Hemofilia do Mato Grosso do Sul

HEVONMAT – Associação dos Hemofílicos e de Von Willebran do estado do Mato Grosso

ASPAHC 
Associação Paraense de Portadores de Hemofilia e Coagulopatias Hereditárias


Contato:

E-mailaspahcpara@gmail.com
Facebook – Aspahc – Associação Paraense de Hemofilia (Acesse aqui)


Diretoria Executiva da ASPAHC

Presidente: Christianne Maria Oliveira Costa
Vice Presidente:  Monalisa Pereira de Miranda
Diretor Administrativo: Sandro Jorge Ribeiro Costa
Diretor Administrativo Adjunto: Keila Cristina Tavares Lobato
Diretor Financeiro: Laércio Pereira Nunes
Diretor Financeiro Adjunto: Zuleide de Souza Santos


O Estado do Pará:

O Estado do Pará, esta situado na região norte, possui o segundo maior território do País, com uma área de 1.247.954.666 km² e população de 7. 581.051 habitantes conforme o censo 2010.

Segundo o Tribunal de Contas da União (TCU), a estimativa populacional para 2015 é de  8.175.113 habitantes.

Possui uma renda per capita de 446,76 com uma densidade de 6.07 habitantes por km², distribuídos em 13 regiões de saúde.

Com 144 municípios e 8.5 milhões de habitantes é o estado mais populoso da Região Norte. Sua capital é Belém, a maior cidade do estado, com 1,4 milhão de habitantes.

O tratamento das Coagulopatias no Pará pode ser realizado em 04 Centros de Tratamento:

Hemocentro Coordenador: É o responsável pela coordenação e execução da Política Estadual do Sangue no Pará, em consonância e com a Secretaria Estadual de Saúde (SESPA) e com a Coordenação Geral de Sangue e Hemoderivados (CGSH),  atuando  como referência para as demais unidades integrantes da HEMORREDE.

Hemocentros Regionais (HR) interior do Estado 

Unidades   de   complexidade   intermediária,  diretamente subordinadas   ao Hemocentro Coordenador, responsável pelo planejamento, execução, controle e avaliação das ações de hemoterapia e hematologia e hematologia  em  sua  área  de  gestão, atuando como referência para as demais unidades integrantes da HEMORREDE na referida área.

Núcleos de Hemoterapia (NH) – Não há consulta e atendimento para pacientes, apenas dispensa de medicamentos nestas unidades.

Os Núcleos de Hemoterapia, quando públicos, são diretamente subordinados a uma unidade pública de hemoterapia de maior complexidade, atuando como referência para as demais unidades da HEMORREDE de menor complexidade, em sua área de abrangência.

As  agências  transfusionais (AT):  são  unidades  que  realizam procedimentos   transfusionais,   sendo   de   responsabilidade  direta dos hospitais públicos ou privados, sob a retaguarda   de   uma   unidade hemoterápica de maior complexidade, mediante contrato de fornecimento de sangue e hemocomponentes.

Distante 13 h 2 min (815,8 km) de Belém

Serviço: farmacêutico
End. Av. Brigadeiro Eduardo Gomes, S/N. Bairro: Recreio. Entre Tv. Batalho e Av. João Rodrigues. CEP: 68.372-000
Fone: (93) 3515.2186
E-mail: hemopa.altamira@amazoncoop.com.br
Funcionamento para coleta de sangue: 7h30 às 13h, de segunda a sexta-feira
Atendimento Transfusional: 24 h

Distante 7 h 12 min – (444,8 km) de Belém

Serviço: farmacêutico
End. Av. Raimundo Veridiano Cardoso – S/N (BR 422) Bairro: Santa Mônica
Fone: (94) 3787.4444/3787.1740
E-mail: hemopatucurui@mconline.com.br ou hemopatuc@hotmail.com
Funcionamento para coleta de sangue: 7h às 13h, de 2a a 6a feira
Atendimento Transfusional: 24h

Distante 7 h 12 min (444,8 km) de Belém

Serviço: farmacêutico
End. Av. Santa Tereza, S/N. Bairro: Centro. CEP: 68.550-000
Fone: (94) 3424.3051
E-mail: hemopa_redencao@yahoo.com.br
Funcionamento para coleta de sangue: 7h às 13h, de 2a a 6a feira
Atendimento Transfusional: 24 h

Distante 2 h 54 min (160,7 km) de Belém

Serviço: farmacêutico
End. Rodovia PA-242, Km 0, S/N. Bairro: São CristovãoFone: (91) 3462.2744/FAX: 34622329
Email: Capanema@hemopa.pa.gov.br
Funcionamento para coleta de sangue: 8h às 12h,  de 2a a 6a feira.
Atendimento Transfusional: 24 h

Distante 2 h 18 min (121,8 km) de Belém

Serviço: farmacêutico
End. Trav. Santos Dumont – S/N Bairro: São Lourenço
Fone: (91) 37514458.
Email:hemonucleoabaetetuba@ig.com.br
Funcionamento para coleta de sangue: 8h às 12h, de 2a a 6a feira.
Atendimento Transfusional: 24h

Serviços: hematologista, enfermeira, psicóloga, farmacêutico, odontólogo, assistente social, pedagogo, fisioterapeuta e fisiatra.
End. Travessa Padre Eutíquio, 2109  CEP:66033-000
Fone: (91) 32429100 / 0800-280 8118
Site: http://www.hemopa.pa.gov.br
Funcionamento para coleta de sangue: 2a 6a de 7h30 às 18h, e aos sábados de 7h30 às 12h30.
Atendimento Transfusional: 24h.

Distante 1 h 39 min (73,0 km)de Belém

Serviços: assistente social, clinico geral, farmacêutico e enfermeira.
End. Travessa Floriano Peixoto, Alameda Rita de Cássia,
Conj. Maria Alice, casa B-2 e B-3. CEP: 68.740-200
Fone: (91) 3721.2986 / 3721.4008
E-mail: hrc@linknet.com.br
Funcionamento para coleta de sangue: 2a a 6a, 7h às 13h.
Atendimento Transfusional: 24 h

Distante 21 h 44 min (1.372,8 km) de Belém

Serviços: assistente social, clinico geral, farmacêutico e enfermeira.
End. Av. Frei Vicente, S/N, Alameda 30 e 31.Bairro: Aeroporto Velho CEP: 68.040-040
Fone: (93) 3522.7763 – FAX: (93) 3522.1143
E-mai: hemopa_stm@netsan.com.br
Funcionamento para coleta de sangue: 2a a 6a, 7h às 13h.
Atendimento Transfusional: 24 h

Distante 13 h 7 min (730,0 km) de Belém

Serviços: assistente social, clinico geral, farmacêutico e enfermeira.
End. Rod. Transamazônica, Quadra 12, S/N.Bairro: Amapá  – CEP: 68.502-290
Fone: (94) 3324.1645 / 3323-2011
E-mail: hemopa@skorpionet.com.br
Funcionamento para coleta de sangue: 2a a 6a, 7h30 às 13h.
Atendimento Transfusional: 24h

Dados do Perfil de Coagulopatias do Ministério da Saúde de 2016, mostram o número de pessoas diagnosticadas com alguma coagulopatia no estado do Pará: 

Pessoas com Hemofilia A:  410 ou 4,05% dos pacientes do Brasil
Pessoas com Hemofilia B: 93 ou 4,66% dos pacientes do Brasil
Pessoas com Doença de vonWillebrand: 383 ou 4,90% dos pacientes do Brasil
Pessoas com Coagulopatias Raras: 27 ou 1,48% dos pacientes do Brasil
Pessoas com Outras Coagulopatias: 38 ou 1,54% dos pacientes do Brasil

TOTAL: 951 pacientes ou 3,93 dos pacientes do Brasil


Pacientes com hemofilias A e B, respectivamente, participantes do Programa de Dose
 Domiciliar.

Hemofilia A: 46,10% ( média nacional 49,81%)
Hemofilia B: 43,01% (média nacional 43,64%)


Consumo dos concentrados de fatores VIII e IX por categoria de dispensação: 

Tratamento Ambulatorial: 9,23%
Tratamento Hospitalar: 1,96%
Tratamento de Continuidade: 2,77%
Dose Domiciliar: 15,34%
Tratamento de Imunotolerância (ITI): 4,19%, com 7 pacientes cadastrados
Profilaxia Primária (PP): 2,26%, com 22 pacientes cadastrados
Profilaxia Secundária (PS): 64,25%, com 132 pacientes cadastrados


Consumo per capita de fator VIII, no estado do Pará, em 2016: 2,26UIs per capita. 

Média Nacional:  3,58UIs per capita.


Consumo per capita de fator IX, no estado do Pará, em 2016: 0,46UIs per capita. 

Média Nacional:  0,59UIs per capita.

APHEMS
Associação de Pessoas com hemofilia do Mato Grosso do Sul


Contato:

E-mail: ned.gi@hotmail.com
Facebook: aphems (Acesse aqui)


Diretoria Executiva da APHEMS

Presidente: Neder Gustavo dos Santos
Vice Presidente:  Odirley Balbino Viegas
Diretor Administrativo: Daniel Brito da Silva
Diretor Administrativo Adjunto: Sandro Barbiris Corrêa Portiilho
Diretor Financeiro: Rafael de Barros Leite
Diretor Financeiro Adjunto: Adriana Luiz de Lima


O estado de Mato Grosso do Sul

O estado de Mato Grosso do Sul localiza-se no sul da região Centro Oeste e faz limite com cinco estados brasileiros e 2 países sul-americanos:   Mato Grosso (norte), Goiás e Minas Gerais (nordeste), São Paulo (leste), Paraná (sudeste) Paraguai (sul e sudoeste) e Bolívia (oeste).

Sua área é de 357.145.532 km²sendo maior que a Alemanha.  Com uma população de 2,74 milhões de habitantes,  o território sul-mato-grossense está dividido em 83 municípios e equivale a 4,19% do brasileiro, ou seja, é a sexta maior área territorial e o 21o (vigésimo primeiro) contingente populacional dentre os estados do Brasil. A cidade mais populosa deste estado é também sua capital: Campo Grande, com mais de 885 mil habitantes.

O tratamento das Coagulopatias no Mato Grosso do Sul é realizado na cidade de Campo Grande e há outros 3 Hemonúcleos, onde são dispensados medicamentos.

Hemocentro Coordenador de Campo Grande: HEMOSUL

End. Av. Fernando Correa da Costa n° 1304 Campo Grande – Centro – MS.
Fone: (67)3312-1500.


1. Hemonúcleo Dourados:
End.
R. Waldomiro de Souza, n°295.
Fone:(67)3424-4192.

2. Hemonúcleo Três Lagoas:
End.
R. Manuel Rodrigues Artes, n° 520.
Fone: (67)3522-7959.

3. Hemonúcleo Coxim: 
End. Av. Gaspar Reis Coelho, n°361.
Fone: (67)3291-2906.

Diferentemente dos demais estados do Brasil, para pacientes que residem em outras cidades, que não as 4 citadas acima, a dispensação de medicamentos no estado do Mato Grosso do Sul é realizada no próprio município onde o paciente reside.

Desta maneira, não é necessário se locomover até o Hemocentro Coordenador ou Hemonúcleo para a retirada da medicação, pois esta é enviada pelo farmacêutico do estado para um hospital ou Hemocentro do município no qual o paciente reside.


Dados do Perfil de Coagulopatias do Ministério da Saúde de 2016, mostram o número de pessoas diagnosticadas com alguma coagulopatia no estado do Mato Grosso do Sul:

Pessoas com Hemofilia A:  93 ou 0,92% dos pacientes do Brasil
Pessoas com Hemofilia B:  16 ou 0,80%  dos pacientes do Brasil
Pessoas com Doença de Von Willebrand:  35ou 0,45% dos pacientes do Brasil
Pessoas com Coagulopatias Raras: 0
Pessoas com Outras Coagulopatias:  5 ou 0,20% dos pacientes do Brasil

TOTAL: 149 pacientes ou  0,61% dos pacientes do Brasil


Pacientes com hemofilias A e B, respectivamente, participantes do Programa de Dose Domiciliar.

Hemofilia A:  18,28% ( média nacional 49,81%)
Hemofilia B:  12,50% (média nacional 43,64%)

Consumo dos concentrados de fatores VIII e IX por categoria de dispensação:

Tratamento Ambulatorial: 34,61%
Tratamento Hospitalar: 8,45%
Tratamento de Continuidade: 0,00%
Dose Domiciliar: 53,17%
Tratamento de Imunotolerância(ITI): 0,00%
Profilaxia Primária (PP): 0,00%
Profilaxia Secundária (PS): 3,77%


Consumo per capita de fator VIII, no estado do MS, em 2016: 1,60UIs per capita.

Média Nacional:  3,58UIs per capita.


Consumo per capita de fator IX, no estado do MS, em 2016: 0,57UIs per capita.

Média Nacional:  0,59UIs per capita.

HEVONMAT 
Associação dos Hemofilicos e de Von Willebran do estado do Mato Grosso


Diretoria Executiva da HEVONMAT


Presidente: André Luiz Juliano Ramos
Vice Presidente: Édna Regina Uliana
1a Secretária: Ednoran Souza Lopes Ribeiro
2o Secretário: Wanderson Gonçalves Ferreira
1o Tesoureiro: Celso da Costa Ribeiro
2o Tesoureiro: Jair Pedro Vieira

O estado de Mato Grosso

Localizado na região Centro-oeste, Mato Grosso é uma das 27 unidades federativas do Brasil. Com um território de 903.357 km², sua porção norte, é ocupada pela Amazônia Legal. Tem como limites os estados do Amazonas e Pará (norte), Tocantins e Goiás (leste), Mato Grosso do Sul (sul), Rondônia e Bolívia (oeste).

Ocupa uma área equivalente à da Venezuela e não muito menor do que a vizinha Bolívia. Dividindo-se em 141 municípios, possui 3.441.998 habitantes e sua capital é Cuiabá.

O tratamento das Coagulopatias no Mato Grosso é realizado na cidade de Cuiabá.

1. Hemocentro Coordenador de Cuiabá:

End. Rua 13 de Junho, 1055.
Centro Sul – Cuiabá – MT
CEP: 78005-100
Telefone: (65) 3623-0044
Email: hemo@ses.mt.gov.br

Dados do Perfil de Coagulopatias do Ministério da Saúde de 2016, mostram o número de pessoas diagnosticadas com alguma coagulopatia no estado do Mato Grosso:

Pessoas com Hemofilia A: 139 ou 1,37% dos pacientes do Brasil
Pessoas com Hemofilia B:  44 ou 2,20%  dos pacientes do Brasil
Pessoas com Doença de vonWillebrand:  94ou 1,20% dos pacientes do Brasil
Pessoas com Coagulopatias Raras: 21% ou 1,15% dos pacientes do Brasil
Pessoas com Outras Coagulopatias:  37 ou 1,50% dos pacientes do Brasil

TOTAL: 335 pacientes ou 1,38% dos pacientes do Brasil


Pacientes com hemofilias A e B, respectivamente, participantes do Programa de Dose Domiciliar. 

Hemofilia A:  65,47% ( média nacional 49,81%)
Hemofilia B:  45,45% (média nacional 43,64%)


Consumo dos concentrados de fatores VIII e IX por categoria de dispensação: 

Tratamento Ambulatorial: 8,03%
Tratamento Hospitalar: 0,01%
Tratamento de Continuidade: 0,00%
Dose Domiciliar: 88,41%
Tratamento de Imunotolerância(ITI): 0,00%
Profilaxia Primária (PP): 0,00%
Profilaxia Secundária (PS): 3.55%, com 21 pacientes cadastrados
Outros Tratamentos: 0,00%

Embora os dados acima sejam os registrados no Perfil de Coagulopatias do Ministério da Saúde em 2015, é importante ressaltar que o Hemocentro de Cuiabá iniciou o tratamento de profilaxia primária e secundária nos primeiros pacientes em 2003. Na época, se utilizavam fatores plasmáticos, que eram os disponíveis, e em doses individualizadas, caso a caso. Quando o Ministério da Saúde implantou o protocolo de profilaxia primária, e em seguida, secundária, não houve margem nos cadastros oficiais, para incluir esses pacientes. Por este motivo, nunca se conseguiu cadastrar esses primeiros pacientes como profilaxia.


Consumo per capita de fator VIII, no estado do MT, em 2016: 2,03UIsper capita. 

Média Nacional:  3,58UIs per capita.


Consumo per capita de fator IX, no estado do MT, em 2016: 0,62UIs per capita. 

Média Nacional:  0,59UIs per capita.

 

DOE